Valuation por Múltiplos

Valuation por múltiplos nada mais é do que um método para definir o valor real de mercado de uma empresa.

Imagine o seguinte: você deseja receber investimentos para o seu negócio porque pretende expandir a sua empresa e ter melhores resultados com ela. 

No entanto, isso só será possível com um valuation, já que nenhum investidor vai evoluir na operação se não conhecer, de fato, a saúde do seu negócio. Em outras palavras, com metodologias como valuation por múltiplos de mercado ajudará tanto investidores quanto você, empresário, a tomar a melhor decisão sobre o investimento, seja venda, compra ou expansão.

E para isso escrevemos este artigo.

Aqui, você vai aprender que método é esse, o que são múltiplos de uma empresa, como identificar o múltiplo de um valuation, vantagens e desvantagens dessa técnica de análise e tantas outras informações super relevantes sobre o tema.

Boa leitura!

O que é Valuation por Múltiplos de Mercado?

O valuation por múltiplos é o método de avaliação que define o valor da empresa por meio de comparações com o desempenho econômico-financeiro de outras preferencialmente empresas similares do mercado.

Essa metodologia baseia-se no conceito de valor relativo. Em outras palavras, basicamente, o valor da empresa analisada dependerá do valor das outras com as quais será comparada. E é isso que dá o nome à técnica: avaliação relativa ou por múltiplos.

De forma mais didática, podemos dizer o seguinte: essa metodologia pressupõe que o valor de um ativo deve ser próximo a outros ativos semelhantes disponíveis no mercado. Diferentemente do Fluxo de Caixa Descontado (FCD), o valuation por múltiplos não leva em conta que o valor da empresa é proporcional à riqueza que ela poderá gerar no futuro, a partir de suas características operacionais próprias (que é o que pressupõe o FCD).

Para seguir esse contraponto ao FCD, dizemos que o valuation por múltiplos compara os indicadores do negócio em análise com outras empresas referências, e pode levar em conta também os múltiplos da própria empresa com suas médias históricas.

Mas, afinal, que múltiplos são esses que estamos falando. Pois bem! É o que falaremos a seguir.

Conheça nosso post sobre como calcular o valor das cotas sociais empresariais.

O que são múltiplos de uma empresa?

De forma bastante resumida, dizemos que um múltiplo é a relação entre o valor de mercado e uma outra variável. Algumas dessas variáveis podem ser, por exemplo, o lucro da empresa, a liquidez, o seu valor patrimonial, EBITDA, etc.

Mas, é importante ressaltar que os múltiplos não são “extraídos do nada”. Pelo contrário! Em primeiro lugar, é preciso calculá-los. E podemos ilustrar o cálculo de um múltiplo qualquer (somente como exemplo) através da seguinte fórmula:

Múltiplo = Valor de mercado / VARIÁVEL

Para essa fórmula, o valor de mercado pode ser tanto valor da empresa quanto o valor das suas ações. E do outro lado, a variável é nada mais do que o indicador escolhido (o que chamamos de driver). 

E aqui é muito importante dizermos que há inúmeros tipos de múltiplos. Eles vão desde o faturamento até o fluxo de caixa, podendo ser também o lucro, EBITDA etc.

Mas, para analisar o valor real de uma empresa é preciso escolher qual múltiplo será utilizado (e daí a importância de contar com avaliadores capacitados e que conheçam, de fato, a melhor opção para incluir na análise). E é o múltiplo que será base para a definição do valuation.

A seguir, veremos o valuation pelos múltiplos de lucro, valor patrimonial e de faturamento.

1. Valuation por Múltiplos de “Lucro”:

Valuation por múltiplos de lucro é um indicador que tem como foco a relação entre o valor da empresa e sua capacidade de gerar resultados. E entre os indicadores mais comuns utilizados estão o EBITDA e o Lucro Líquido. A seguir, veremos mais detalhes de cada um deles.


a) Múltiplos de EBITDA:

EBITDA é um dos principais indicadores utilizados em análises de empresas. A sigla em inglês significa Earnings Before Interest, Taxes, Depreciation and Amortization. Em português, é também conhecido como LAJIDA, ou lucro antes de juros, impostos depreciação e amortização. Ou seja, EBITDA e LAJIDA são o mesmo indicador.

De forma muito resumida, EBITDA é o resultado da operação da empresa, e facilita a sua comparação com qualquer outra empresa de âmbito nacional ou internacional. Numa indústria petroquímica, por exemplo, esse indicador demonstra para o investidor quão eficiente é a produção da empresa (o que auxilia nas tomadas de decisão).


b) Múltiplos de Lucro Líquido ou (P/E):

Diferentemente do EBITDA, Múltiplos de Lucro Líquido ou (P/E) são mais utilizados por empresas negociadas em Bolsa de Valores. Na prática, usa-se o Preço por ação dividido pelo Lucro por ação. É o chamado P/L (Preço/Lucro) ou P/E (Price to Earnings).

Com esse cálculo determina-se o tempo necessário para recuperar o capital investido na compra da ação, por exemplo. Logo, as empresas com baixo índice indicam desvalorização.

Embora tenha certa complexidade, se comparado a outros cálculos esse em especial é bastante simples. Porém o ponto negativo é seu baixo grau de imprecisão, já que o P/L das empresas negociadas em bolsa varia diariamente, o que leva esse driver a ser substituído pelo EBITDA, em geral.

No entanto, entre seus pontos positivos é que o P/E pode ser combinado com outras metodologias, o que garante um complemento às análises. Entre essas metodologias está o Fluxo de Caixa Descontado.


2. Valuation por múltiplos de valor patrimonial

O valor patrimonial de uma empresa pode ser encontrado em seu balanço, ao calcular a diferença entre os seus ativos (faturamento, receita total) e passivos (custo total). Na prática, é o seu patrimônio líquido.

Agora, de uma forma um pouco mais técnica, é importante explicarmos que esse índice é o valor de mercado da empresa dividido pelo valor do seu patrimônio líquido. Logo, temos a seguinte fórmula:

Preço / Valor Patrimonial por ação (P/VPA)

Agora, se você analisar esse cálculo vai perceber que a sua lógica é a mesma de outros múltiplos que já apresentamos neste artigo. Logo, para definirmos o valor da empresa temos:

Valor = M(ref) x PL (Patrimônio Líquido da Empresa Avaliada)

Mas, se você entende um pouco sobre o assunto patrimônio, talvez entenda que o patrimônio líquido de uma empresa não reflete o valor dos seus ativos intangíveis (que representam muito do valor total de uma empresa). Devido a essa imprecisão, esse método acaba não sendo uma opção de muitos avaliadores.

3. Valuation por múltiplos de faturamento

Antes de explicarmos o que é exatamente Valuation por múltiplos de faturamento precisamos entender que a receita de uma empresa não representa a totalidade do seu potencial. Sabendo disso, empresas que utilizam muitos indicadores para realizarem análises financeiras tendem a não utilizarem essa metodologia.

Ou seja: faz sentido usar o faturamento quando ele é o principal (ou o único) indicador para definir o valor da empresa. É o caso de franqueados e microempresas, por exemplo. Já que esses negócios têm um grau de complexidade relativamente baixo se compararmos com empresas maiores, como multinacionais.

Entendido isso, vamos lá!

Definir o valuation pela receita significa saber quantas vezes o valor do faturamento vale uma empresa. Há, também, o EV/Sales, múltiplo de Receita Líquida, utilizado para avaliação de empresas novas, em crescimento acelerado de vendas ou com EBITDA negativo.

Ainda, há o múltiplo EV/ARR que utiliza como base o ARR (Annual Recurring Revenue ou Receita Recorrente Anual). Assim, um um múltiplo EV/ARR 3.0x significa que a empresa vale três vezes a sua receita recorrente anual, por exemplo (usado principalmente por empresas de tecnologia).


Como identificar o múltiplo de um valuation?

Como já vimos neste artigo, análise por múltiplos de mercado significa avaliar uma empresa tomando como referência os resultados de empresas do mesmo segmento. As características mais utilizadas para validar a similaridade são:

  • semelhança de setor;
  • risco;
  • crescimento;
  • e potencial de geração de resultados, por exemplo.

Logo, todos esses itens da(s) empresa(s) de referência devem ser semelhantes aos da empresa em análise. E aqui é importante pontuarmos que os avaliadores geralmente analisam mais de uma empresa referência para ter maior embasamento e concluir qual é a média do mercado.

Vantagens e desvantagens do valuation por múltiplos

Como toda metodologia, há vantagens e desvantagens na sua utilização. Confira a seguir uma lista que elaboramos com as principais delas:

VANTAGENSDESVANTAGENS
Simplicidade e rapidezNão indica as potencialidades do negócio para o futuro
Aplicabilidade a empresas que possuem poucas informações econômico-financeiras disponíveisNão estima seu potencial de fluxo de caixa; tampouco, outras variáveis como risco, taxa de crescimento, custo de capital, etc.
Pode refletir a real situação do mercadoO valor encontrado não garante permanência de resultados no futuro
É menos suscetível a erros de estimativa de crescimentoDesconsidera aspectos estratégicos como estilo de gestão, diferenciais competitivos ou potencial de escala da empresa
Utiliza os números dos principais pares de seu setor para comparação (o que pode ocasionar muitos erros, já que não considera que o mercado possa estar supervalorizado, por exemplo)
Raramente utilizado para pequenas e médias empresas

Apesar de haver tantos pontos negativos, muito do grau de assertividade de qualquer análise depende da qualificação e experiência do avaliador. E se o profissional for muito bem preparado, provavelmente ele saberá como lidar com esses pontos.


Utilizando a avaliação por múltiplos para a tomada de decisão

Como, na prática, a aplicação dessa metodologia é confiável para fundamentar uma decisão de investimento? Para responder a essa pergunta, escrevemos sobre os principais cuidados que devem ser tomados numa tomada de decisão a partir dessa análise. Confira:

1. Pequenas amostras

É muito importante refletir se as métricas utilizadas na análise refletem realmente as médias do mercado. Ou seja, para o empresário não correr o risco de enfrentar frustrações, o ideal é utilizar informações de outros mercados (internacionais) com o intuito de aumentar a amostra utilizada na análise.

No caso de usar dados de empresas de diferentes países é fundamental levar em conta as diferenças regulatórias, fiscais e econômicas.

2. Escolhas contábeis

Sabemos que para calcular um múltiplo devem ser usadas informações contábeis. Logo, podemos concluir que ao selecionarmos as empresas de referência para a análise é fundamental aplicar as mesmas formas de classificação e contabilização dos ativos, passivos, receitas, custos, despesas etc. na empresa em análise.

Mas, como assim?

Veja: se a empresa A contabilizar despesas operacionais (que afeta o lucro) nas suas análises, logo deveremos utilizar esse mesmo raciocínio e classificação para a avaliação da empresa em questão.

Cada empresa utiliza diferentes classificações, raciocínios e metodologias para definir o seu valor. Por isso, é fundamental estar atento a essas características para não concluir um valor de mercado a partir de múltiplos descolados das empresas de referência.

E aí, mais uma vez, entra a expertise do avaliador.

3. Mercados imperfeitos

Aqui entra a conhecida Hipótese dos Mercados Eficientes.

Um mercado eficiente é aquele em que as informações são amplamente disponíveis, de forma que o preço de um ativo negociado reflete seu valor justo. Porém, o que acontece em muitas avaliações é que nem todas as informações dessas empresas são publicamente disponíveis. 

E tudo isso pode provocar um problema enorme na avaliação, já que abre-se espaço para falhas ou imperfeições no mercado. E isso impossibilita a empresa em avaliação de refletir o valor justo dos ativos negociados.

Logo, podemos entender que caso existam falhas de mercado, os índices calculados não vão refletir as expectativas de mercado.

Valuation por Múltiplos de mercado são confiáveis?

A avaliação por múltiplos é sim confiável, no entanto, caberá ao profissional avaliador aplicar a sua expertise e experiência ao longo do processo de avaliação da empresa.

Valuation por múltiplos até pode ser utilizada, por exemplo, em casos de pequenas e médias empresas, mas raramente acontece. O motivo é que quando alguma empresa similar é vendida raramente o mercado fica sabendo e quando vaza algum tipo de informação, dificilmente o mercado terá conhecimento de inteiro teor do contrato, ficando assim muito difícil comparar empresas pequenas, pela falta de informação.

Por aí, há muitas empresas de consultoria empresarial e bancos de investimento que utilizam essa metodologia para complementar seus laudos de investimento. Portanto, é uma técnica confiável. E é importante pontuar que em muitos casos é possível unir diferentes metodologias para realizar uma avaliação. 

Como escolher o método de Valuation ideal para minha necessidade?

Em primeiro lugar é preciso escolher o melhor driver para o valuation por múltiplos. E essa escolha depende da realidade de cada empresa. Por isso, é fundamental que os profissionais sejam altamente capazes de ter uma visão macro do negócio que ele vai avaliar.

Ou seja: ele deve utilizar o múltiplo que mais reflete as expectativas do mercado para aquela empresa em análise. E o especialista é que deve direcionar essa escolha para garantir uma análise assertiva. Além disso, um profissional especializado é aquele que sabe exatamente qual o melhor método se aplica à realidade da empresa. 

Aqui na Yenom temos uma equipe altamente preparada para realizar análises de diferentes perfis de empresas. Em nosso trabalho atuamos de forma ética e imparcial, o que garante resultados coerentes com a realidade, sem beneficiar indevidamente quem quer que seja.

Além disso, seja valuation por múltiplos ou não, é muito importante considerar o uso de mais de uma metodologia, a fim de olhar para a empresa como um todo, e não apenas os seus números.

Ficou com alguma dúvida? Entre em contato.