Decidimos escrever este artigo sobre o método do Fluxo de Caixa Descontado pois muitos clientes nos fazem a seguinte pergunta: “qual a metodologia de avaliação de empresas mais aceita numa eventual negociação?” ou simplesmente: “qual o melhor método de valuation”?

Iremos dissertar no decorrer deste post sobre o fluxo de caixa descontado (discounted cash flow ou dcf em inglês), que é o melhor método de valuation de empresas na maioria dos casos na nossa opinião e iremos explicar o porquê.

Valuation é um termo que, se você é empresário, provavelmente já ouviu falar. E se não ouviu ou quer saber mais sobre o assunto, vai entender neste artigo tudo o que você precisa sobre a metodologia do fluxo de caixa descontado para avaliar a saúde financeira da sua empresa.

Quando falamos nesse tipo de avaliação, precisamos considerar que são muitos os motivos que podem levar um empresário a “medir a temperatura” das finanças do seu negócio, e pode ser desde ampliar as operações da empresa até buscar novos investidores, ou até mesmo vendê-la. E por isso é fundamental definir o valuation com uma metodologia eficaz, e não de qualquer jeito ou por qualquer profissional.

Boa leitura!

O que é valuation?

Valuation é um termo inglês que significa “avaliação de empresas”, ou “avaliação financeira”. Basicamente, é um processo que tem como objetivo definir o valor real de mercado de uma empresa, marca ou ativo

Mas, por que é preciso definir esse valor?

São muitas as situações que exigem essa avaliação, melhor dizendo, um documento que informe sobre a saúde financeira de uma empresa, por exemplo. 

Imagine que você está interessado em atrair investidores para seu negócio. Numa reunião, certamente eles deverão lhe questionar sobre os ativos e passivos da sua empresa, além de tantas outras informações, a fim de analisarem quais os riscos que eles vão assumir se investirem na sua empresa. E se você não tiver dados consistentes, é provável que você não tenha sucesso.

Mas, além de atrair investidores, o valuation também serve para nortear o empresário sobre o real crescimento do negócio, já que esse processo inclui na maioria dos casos a análise do seu nicho de mercado.

O valuation também serve para:

  • Análise de Viabilidade Econômica: será que o lucro ou retorno do negócio é sustentável? Será que o Caixa da empresa ou reinvestimentos são suficientes tendo em vista o setor que ela atua?
  • Compra e Venda: quais são os ativos e passivos da empresa? Qual o volume de clientes? Quantos funcionários a empresa tem? Quais são os riscos do negócio? E marcas e patentes, há?
  • Cisão, Fusão e Incorporação: qual o valor real de mercado baseado no retorno para os sócios de cada uma das empresas? Quais são as diferenças? Nessas operações, um valuation é indispensável!
  • Solicitação de empréstimos: quais dados podem comprovar que sua empresa é uma boa pagadora? A empresa tem uma boa saúde financeira? Um laudo bem feito pode ajudar a conseguir aquele empréstimo super importante.
  • Saída de sócios: qual o valor a ser retirado pelo(s) sócio(s) no momento de uma eventual saída de um deles. 

Como Desfazer Sociedade e Avaliar sua Parte de Forma Justa? Clique aqui para saber.

Todas essas situações requerem o uso de uma metodologia para a apresentação de dados consistentes e avaliações corretas. Por isso, a seguir apresentamos a metodologia mais utilizada no mercado financeiro: valuation por fluxo de caixa descontado.

O que é Fluxo de Caixa Descontado (Discounted Cash Flow – DCF)?

O Fluxo de Caixa Descontado (FCD) é o método mais utilizado para definição de valuation.  O FCD trata-se de uma técnica de análise da rentabilidade futura de um negócio que estima qual o valor real de uma empresa, marca ou ativo e tem como função determinar o seu preço justo e o retorno de investimento em suas ações.

A definição de valuation por Fluxo de Caixa Descontado parte do princípio de que o investimento gera fluxo de caixa durante um determinado período. O método determina o valor da empresa, da marca ou do ativo de acordo com a sua capacidade de trazer retorno para os sócios.

A grosso modo qualquer ativo pode ser avaliado através do método do DCF se houver dois fatores:

  • Fluxo de caixa;
  • Se é possível estimar uma taxa de desconto.

O professor de finanças e considerado por muito o guru do valuation, Aswath Damodaran, ainda cita um terceiro fator importante no processo de valoração do ativo: é desejável que os fluxos de caixa cresçam (g) durante o horizonte de projeção.

E como enxergar os benefícios no dia-a-dia?

A resposta para essa pergunta é muito simples: a definição de valuation pelo FCD auxilia gestores a tomarem decisões assertivas e adotarem estratégias efetivas para o negócio, principalmente em fatores que podem gerar rendas futuras.

E para identificar o potencial de geração de renda, esse método leva em conta as estimativas de crescimento do faturamento, dos custos e das despesas operacionais. O FCD leva em conta também o crescimento do mercado, a cadeia produtiva e outras tendências atreladas à especificidade do segmento de cada negócio.

Em resumo:

Na definição do valuation os fluxos de caixa são descontados a uma taxa de desconto que considera o risco do negócio (e também a remuneração exigida do investidor) e que traz os valores nominais ao seu valor equivalente no presente. É a relação entre risco e retorno.

Essa relação soma-se ao risco de mercado, o custo de oportunidade, custo da dívida e o custo de capital próprio. Todos esses custos são combinados à capacidade de geração de caixa da empresa, definindo o valor de cada ativo específico.

E como calcular o valuation pelo método de Fluxo de Caixa Descontado? Aprenda a seguir!

Fluxo de Caixa Descontado – Como Calcular

Como já dissemos por aqui, esse método é amplamente utilizado pelo mercado, e devido a isso há uma certa padronização nos critérios de avaliação praticados pelos avaliadores.

Apesar de haver essa padronização, o método não exclui escolhas e preferências do avaliador (como taxa de desconto e taxa de crescimento dos fluxos de caixa e períodos de projeção, por exemplo) em cada caso que ele atua.

Em cada processo, algumas dessas subjetividades do avaliador estão atreladas à taxa livre de risco que ele utilizará, a taxa projetada para o crescimento do faturamento ao longo dos anos e quantos anos terá o período de projeção.

Pensando em entrar de cabeça no mundo do valuation? Confira aqui o curso de valuation que recomendamos.

Isso também vale para o Valor Terminal (Terminal Value) ou Valor de Perpetuidade, o que muitos especialistas em valuation chamam de valor de fechamento (ou valor residual), pois teoricamente falando é possível prever fluxos de caixa até o infinito, então é interessante que o avaliador opte por escolher um tipo de fechamento das projeções.

Para essas questões não há uma resposta correta, mas respostas que variam conforme a escolha do profissional.

E como calcular?

Para o cálculo aqui na Yenom utilizamos a seguinte fórmula:

Fórmula Fluxo de Caixa Descontado - Discounted Cash Flow

Na fórmula acima, temos:

  • Valor do Ativo (ativos operacionais): valor da empresa, capturando todos ativos sendo utilizados na operação;
  • FCF (Free Cash Flow): fluxo de caixa livre para a empresa em cada um dos períodos projetados;
  • WACC (Weighted Average Cost of Capital): Custo Médio ponderado de Capital, que considera a estrutura de capital da empresa. Em outras palavras, é a proporção entre capital próprio e capital de terceiros (dívida), bem como o seu respectivo custo (taxa de juros) deduzido dos efeitos da carga tributária. Obs.: nesta fórmula, o WACC é a taxa de desconto aplicada aos fluxos de caixa para trazê-los ao valor presente.
  • TV (Terminal Value): Valor Residual, que é incorporado ao final do período de projeção.

Exemplo Real de DCF

Para você entender melhor como é o valuation pelo método de Fluxo de Caixa Descontado e a fórmula dessa avaliação , separamos um exemplo:

AVISO: não nos aprofundaremos em detalhes específicos sobre fatores como fluxo de caixa livre, EBIT(e NOPAT) e taxa de desconto, pois na realidade o processo é um pouco mais complexo e detalhado. O exemplo abaixo é meramente ilustrativo.

Imagine uma pequena empresa familiar com as seguintes características:

  • No último ano faturou (receita bruta) 1 milhão de reais;
  • A família e o avaliador consideram factível que a empresa continue crescendo em termos de faturamento na taxa de 8% todo o ano;
  • Sua margem operacional (EBIT) foi de 15% no último ano e, em nome do conservadorismo, a mesma taxa será utilizada durante toda projeção;
  • Alíquota de impostos: 8%;
  • O avaliador chegou a conclusão que para manter este crescimento de 8% ao ano a empresa deverá reinvestir cerca de 10% da margem operacional (EBIT) após descontar impostos (vale lembrar que do ponto de vista de valuation não existe crescimento sem o devido reinvestimento). Logo o primeiro fluxo de caixa live (FCF1) será de 134 mil reais e assim por diante;
  • O crescimento na perpetuidade será de 8% (partimos da premissa que a empresa continuaria suas operações após 10 anos);
  • O custo do capital neste exemplo será de 10% somente para fins explanatórios.
Fluxo de Caixa Descontado Exemplo Real

Concluímos, então, que o Valuation da empresa familiar de acordo com as premissas descritas acima é de aproximadamente R$ 6,7 milhões.

Um cálculo longe de ser simples, não é?

Por isso a gente ressalta que essa fórmula é apenas uma parte de todo o processo de avaliação de valor real de mercado de uma empresa. Essa análise envolve outras séries de especificidades que só um profissional capacitado (e imparcial) têm condições de realizar.

Como funciona um valuation pelo fluxo de caixa descontado?

Vimos até aqui que a definição de um valuation pelo Fluxo de Caixa Descontado engloba uma série de análises tanto sobre a empresa, marca ou ativo quanto dos fatores externos, como mercado e tendências. E nesse processo é fundamental ter a clareza sobre o funcionamento dessa metodologia, não é?

O Fluxo de Caixa Descontado propõe mostrar o valor do fluxo de caixa de uma empresa, descontado de acordo com o risco envolvido na compra da empresa. Isso significa que nesse processo são analisados a rentabilidade futura da empresa, marca ou ativo e o seu poder em gerar caixa.

Ou seja…

Quanto mais uma empresa aumenta seus lucros e o quanto ela tende a gerar mais receitas futuramente, maior será o seu valor. Porém, isso não significa que empresas que não gerem muitas receitas estejam impedidas de utilizar o método de Fluxo de Caixa Descontado para definir o seu valor real de mercado.

Mesmo empresas com baixa geração de receita podem se apropriar dessa técnica de avaliação para identificar outros pontos importantes na sua estrutura de negócio quando optarem pela avaliação do seu valuation.

A ilustração a seguir explica como nós aqui na Yenom avaliamos as empresas utilizando essa metodologia.

Fluxo de Caixa Descontado

Por que o Fluxo de Caixa Descontado é a melhor metodologia de valuation?

Realizar um valuation com o uso do FCD é a melhor metodologia porque a sua análise é possível reduzir um investimento a um VPL (Valor Presente Líquido). Se esse valor for positivo, o investimento deverá ser um gerador de dinheiro. Agora, se for negativo, o investimento representará riscos e maus resultados, como a perda de dinheiro.

Esse método também permite que o empresário escolha os melhores investimentos. Ou seja, aquele com maior VPL e, consequentemente, mais lucrativo.

Ainda, o Fluxo de Caixa Descontado é a melhor metodologia de valuation porque ele analisa o futuro da empresa, já que estuda indicadores de mercado e tendências do que resultados obtidos em períodos anteriores. Além, é claro, de ser menos influenciado por fatores externos que mudam facilmente.

Além disso, é possível levar em consideração aspectos como:

  • Tradição da empresa;
  • Know how;
  • Marcas;
  • Patentes;
  • Cultura Organizacional;
  • Competência da gestão;
  • Planos de expansão;
  • Planos de redução de custo;
  • Planejamento Estratégico;
  • E outros.

Agora, pense aí: é ou não a melhor metodologia?

É Possível Utilizar o Método do Fluxo de Caixa Descontado para Avaliar uma Micro, Pequena ou Média Empresa?

Sim, qualquer empresa que não esteja gerando prejuízos, ou gera prejuízo mas existe a possibilidade de melhorar sua situação no curto ou médio prazo pode sim ser avaliada através do método do Fluxo de Caixa Descontado.

É por este motivo que muitas startups são avaliadas através desta metodologia.

E o Fluxo de Caixa Descontado é de Fato Mais Aceito em Negociações?

Na maioria dos casos, quando bem construído (no caso por especialista imparcial) sem nenhum viés e que entenda perfeitamente o método, sim, é o método mais utilizado e aceito no mundo inteiro.

Quem pode fazer valuation de empresas?

Vimos neste artigo o quão complexo é o processo de Valuation.

Além de exigir muitos conhecimentos e habilidades, é uma tarefa que envolve ética e imparcialidade (para não expor negativamente a empresa ao mercado e a quem mais ela apresentar o seu valuation).

Somente profissionais qualificados para avaliar e conduzir esse processo devem ser contratados. Essas pessoas devem analisar profundamente a sua empresa, compreender o mercado, saber muito sobre tendências e tantos outros aspectos fundamentais. Em outras palavras, quanto mais consistente for a análise, mais próxima da realidade o valuation da sua empresa estará.

Aqui na Yenom, por exemplo, nós temos especialistas que conhecem a fundo o método do Fluxo de Caixa Descontado. Temos um time capacitado e com muita experiência. Porque, afinal, esse é o nosso negócio.

Como contratar um valuation por fluxo de caixa descontado?

Para contratar valuation por FCD indicamos a você analisar e procurar por referências profissionais nesse ramo.

Também, estude empresas que já contrataram esse serviço e avalie as experiências e resultados que elas alcançaram com a avaliação. E, sobretudo: procure por profissionais com experiência em valuation pelo método de fluxo de Caixa Descontado. Aqui na Yenom realizamos avaliação de empresas dos mais diversos perfis: de empresas familiares a startups. E usamos este método para atender aos nossos clientes. Que tal conversar com a gente?