Nopat Post

NOPAT é, sem sombra de dúvidas, um dos indicadores mais importantes quando falamos em valuation de empresas. E é por isso que resolvemos escrever esse artigo: para explicar para você qual a sua real importância no processo de avaliação de uma empresa.

Quantas vezes por aí você já tentou concluir quanto vale o seu negócio? E, quantas vezes no meio do caminho desistiu por conta da confusão provocada pela variedade de indicadores necessários para uma avaliação?

Realmente, definir o valuation de uma empresa não é uma tarefa fácil. Por isso, o NOPAT é uma excelente medida financeira que ajuda nesse processo.

Neste artigo falamos sobre o que é e a importância do NOPAT, as suas diferenças em relação à EBIT e EBITDA e explicamos  também como o seu cálculo é realizado.

Boa leitura!

O que é NOPAT?

NOPAT (Net Operating Profit After Taxes) é o lucro operacional líquido obtido por uma empresa após os impostos. Em outras palavras, é uma medida financeira que mostra o desempenho de uma empresa em suas operações principais, líquido de impostos. 

O NOPAT é frequentemente usado em cálculos de valor econômico agregado (EVA) e é uma visão mais precisa da eficiência operacional para empresas mais desenvolvidas. Por isso, ele não inclui a economia de impostos que muitas empresas obtêm devido às dívidas existentes.

Porém, nesta definição de NOPAT, devemos explicar que essa medida financeira é o lucro em dinheiro potencial de uma empresa se sua capitalização fosse desfavorável ao desenvolvimento – ou seja, se ela não tivesse dívidas. E esse valor não inclui perdas ou cobranças únicas (já que estes não fornecem uma representação do real lucro de uma empresa).

Mas, afinal, de quais perdas ou cobranças únicas estamos falando?

Pois bem, alguns desses encargos podem incluir aqueles relativos a uma fusão ou aquisição, que, se considerados, não mostram necessariamente uma imagem precisa das operações da empresa, embora possam afetar os resultados da empresa naquele ano.            

Ao avaliar uma empresa como investimento, por exemplo, os analistas observam muitas medidas financeiras diferentes sobre o seu desempenho. As medidas mais usadas são o crescimento das vendas e da receita líquida.

Em relação às vendas, elas fornecem uma medida de desempenho de primeira linha, mas não se referem à eficiência operacional. Já em relação ao lucro líquido, ele inclui despesas operacionais, mas também inclui economia de impostos com dívidas. E aqui é importante dizer que o lucro operacional líquido após impostos é um cálculo híbrido que permite aos analistas comparar o desempenho da empresa sem a influência da alavancagem – ou seja, sem a influência das dívidas na estrutura do capital do negócio. Dessa forma, é uma medida mais precisa de pura eficiência operacional.

Qual a diferença entre NOPAT, EBITDA e EBIT?

No mundo corporativo é muito comum falarmos em NOPAT, EBITDA e EBIT. Embora possam haver algumas confusões (porque, afinal, são indicadores que têm relação entre si), é importante explicarmos a diferença entre eles.

EBITDA e EBIT são os principais indicadores utilizados para a análise do lucro real de uma empresa. Enquanto o EBITDA é o lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização, o EBIT é somente os lucros antes de juros e tributos.

Mas, por que avaliar esses indicadores?

Bem, o EBITDA demonstra a capacidade de geração de caixa antes da dedução de impostos. E é um indicador muito utilizado por empresas de capital aberto, em fusões e aquisições e por analistas de mercado.

Já o EBIT, de forma bastante semelhante, representa o lucro operacional de uma empresa antes do desconto de juros e imposto.

Com isso, podemos dizer que EBITDA e EBIT são indicadores que possibilitam uma análise sobre o potencial de lucro de uma empresa, e que se relacionados auxiliam os analistas a perceberem o impacto dos impostos e tributos no negócio.

E qual a diferença entre o NOPAT e esses indicadores?

Bem, o NOPAT apresenta uma vantagem sobre esses indicadores por permitir uma análise de longo prazo sobre uma determinada empresa contra a sua concorrência. Então, já que com o NOPAT é determinada a capacidade do negócio de gerar receita, é possível então compreender a sua lucratividade diante das demais empresas.

Qual a importância do Net Operating Profit After Taxes?

Como vimos até aqui, o NOPAT mostra basicamente o desempenho de uma empresa em suas operações principais, líquido de impostos. Mas, por que afinal uma empresa deveria adotar essa medida para a análise do seu negócio?

Em primeiro lugar temos de falar na alta carga tributária do Brasil pagas pelas empresas (e pela sociedade de um modo geral, claro). Porém, a maioria dos indicadores usados em análises no mundo corporativo foram desenvolvidas em contextos em que impostos e tributos, por exemplo, são menos custosos. É aí então que entra o NOPAT, já que ele viabiliza uma análise do lucro da empresa considerando esses encargos.

Em outras palavras, independentemente da localidade de atuação de uma empresa (já que impostos podem variar em diferentes regiões), o NOPAT garante uma análise assertiva sobre o lucro da empresa porque leva em consideração indicadores relacionados especificamente a ela.

Outra vantagem em relação a outros indicadores é que o NOPAT também leva em conta a amortização e depreciação, que é extremamente importante para as indústrias, por exemplo, já que empresas desse setor dependem de altos investimentos em máquinas e tecnologias. E como esses tipos de ativos possuem um alto índice de depreciação, impactam qualquer avaliação vinculada ao valor econômico da empresa.

Em relação às fusões e aquisições, o NOPAT é vantajoso também porque pode ser utilizado para calcular o fluxo de caixa livre para a empresa (FCFF). E é sobre esse indicador, além de outros, que falamos no capítulo seguinte.

Como o NOPAT pode compor outros indicadores?

O NOPAT é um indicador que pode ser utilizado tanto de forma isolada quanto ser combinado para a composição de outras fórmulas e indicadores para diferentes tipos de análises.

Numa análise mais completa sobre a realidade financeira de uma determinada empresa, o NOPAT pode ser combinado com o ROIC (Retorno sobre o Capital Investido) ou ROI (Retorno sobre o Investimento), por exemplo. Nesse caso, a métrica é utilizada para analisar o quanto uma empresa gerou de receita a partir de um determinado investimento que ela tenha feito.

O FCFF (Fluxo de Caixa Livre para a Empresa) é um indicador em que será medido todo o caixa destinado ao pagamento de dívidas, credores e acionistas, e a sua fórmula é obtida através de uma medida de lucro operacional da empresa, o NOPAT. E é aí que se os indicadores se complementam: o NOPAT é somado e combinado com outros indicadores que tem como resultado o FCFF.

Já o FCFE (Fluxo de Caixa Livre para acionistas) é o valor dos dividendos que a empresa distribuirá aos acionistas. Logo, podemos dizer que o FCFE é um indicador que pode fazer parte do processo de definição do valuation de uma empresa. Na prática, quando incorporado nesse processo, é utilizado para saber quanto do fluxo de caixa da empresa está indo para os seus acionistas, sócios e demais investidores com participação no capital da mesma. 

Mas, e qual a relação do NOPAT com o FCFE?

Da mesma maneira em que ocorre no FCFF, para calcular o FCFE o NOPAT é somado e combinado com indicadores como depreciação e investimentos, além de outros. Então, através da combinação do NOPAT com esses indicadores, é possível realizar análises mais consistentes e que garantam resultados mais próximos à realidade das empresas.

Mas, atenção: nesse tipo de composição (quando associamos um indicador a outros) é preciso entender que o valor de um indicador específico influencia os demais. Por isso é fundamental saber exatamente como calcular esse indicador, evitando assim um efeito dominó sobre os resultados da empresa. 

Como calcular o NOPAT?

A fórmula de cálculo do NOPAT não é um bicho de sete cabeças. No entanto, antes de o analista “colocar a mão na massa” ele deve determinar a receita operacional, também conhecida como lucro operacional.

A receita operacional/lucro operacional inclui o lucro bruto menos as despesas operacionais, que são compostas por despesas com vendas, gerais e administrativas (por exemplo, material de escritório). 

Sabendo isso, temos as seguinte fórmulas do NOPAT:

Formula Nopat 1
Calculando NOPAT a partir da Receita Líquida

Também é possível calcular o NOPAT através desta maneira:

Fórmula NOPAT 2
Calculando NOPAT a partir do Lucro Líquido

E por fim, temos ainda esta alternativa para calcular o NOPAT:

Fórmula NOPAT 3
Calculando NOPAT a partir do EBIT

Exemplo de Cálculo

Para ficar mais claro como a definição do NOPAT funciona na prática, separamos o seguinte exemplo:

Imagine que uma empresa tenha um EBIT de R$ 10.000,00 e a alíquota tributária seja de 30%. O lucro operacional líquido após os impostos será 0,7, o que equivale a R$ 7.000,00.

Cálculo:

NOPAT = R$ 10.000,00 x (1 – 0,3).

Essa é uma aproximação dos fluxos de caixa após os impostos sem a vantagem fiscal da dívida. Então, note que: se uma empresa não tiver dívidas, o lucro operacional líquido após os impostos é igual ao lucro líquido após os impostos. Ao calcular o lucro operacional líquido após os impostos, os analistas gostam de comparar com empresas semelhantes no mesmo setor, porque alguns setores têm custos mais altos ou mais baixos do que outros.

Como uma Startup que gera prejuízo pode valer bilhões? Clique aqui para descobrir!

Como é o uso do NOPAT no valuation

Até aqui você pôde aprender mais sobre NOPAT e o quanto essa medida financeira é  importante para as análises de empresas. 

Sabemos que um valuation é um processo fundamental para avaliar a saúde financeira de uma empresa. Sem ele, seria praticamente impossível mensurar o valor real de mercado de uma empresa. 

Para o cálculo de valuation há algumas metodologias. Algumas delas mais utilizadas e tradicionais do que outras. O método do Fluxo de Caixa Descontado é um bom exemplo. Mas, e como o NOPAT poderia ser usado nesse processo?

Vamos lá!

Vimos que o NOPAT leva em consideração quanto de fato uma empresa fatura antes dos impostos, somente levando em consideração a operação principal dela.

Em valuation – utilizando o Fluxo de Caixa Descontado, o uso do Nopat serve para calcular os fluxos de caixa – uma etapa do trabalho.

O NOPAT ignora a estrutura de capital das empresas e também desconsidera quanto a empresa paga de juros ou recebe de juros de investimentos. Em outras palavras… É como se fosse uma padaria que só faz pão de queijo: o NOPAT dela seria quanto ela faturou somente vendendo pão de queijo após pagar impostos (sem levar em consideração se pagou juros de empréstimos e etc., por exemplo).

Entendeu como na prática o NOPAT é fundamental para definição do valuation de uma empresa?

Além do NOPAT, há uma série de outros indicadores que precisam ser levados em conta sempre que for feita uma avaliação financeira de uma empresa. Embora muitas fórmulas e passo-a-passos estejam disponíveis, nada deve substituir a atuação de profissionais qualificados. E o mais importante: profissionais éticos e imparciais.